segunda-feira, 5 de novembro de 2007

Fim-de-semana na Costa Galega

Mapa do nosso percurso




Sábado: Santiago - Padron - Rianxo - Ribeira - Noia - Santiago


Saímos de Santiago às 10h30 rumo a Padrón, cidade onde desembarcou um barco com o corpo do apóstolo Tiago (Santiago). É uma cidade com mais para ver para além dos famosos "pimientos". Fomos a casa museu de Rosalía de Castro uma poetisa galega do sec XIX, nascida em Santiago de Compostela e que viveu os seus últimos dias em Padrón. Andamos também pelo paseo del Espolón, uma avenida em terra batida com sombras de árvores com copas enormes, pela igreja de Santiago onde está o "pedrón" (cilindro de pedra) onde foi preso o barco quando chegou a Padrón, apanhamos um casamento no Convento del Cármen, e fomos ao Santiaguiño do Monte (onde a noiva tinha deixado um ramo de rosas, acho que é tradição…). Aqui os casamentos são anunciados em telas… vimos isso em varias terrinhas para estes lados… o de Padrón dizia: "Finalmente el Jaco e la Jaca se casan 3-11-2007"

Seguimos em direcção a Pobra de Camiñal, e ao mirador de la Curota. Daqui tivemos as melhores vistas desde que estamos aqui na Galiza. A Ria de Arousa é sem duvida a mais bonita das 4 rias que constituem as Rias Baixas.

A próxima paragem foi em Aguiño, que fica na ponta da península. A estrada acompanhou sempre o mar, e sempre com muitas curvas…

Depois fomos às dunas de Corrubedo, as maiores dunas de Espanha, que já atingiram os 60 metros de altura. (Só para comparação as torres da catedral de Santiago têm 90 metros!) Impressionante como a Serra de Barbanza termina numa extensão enorme de dunas. Por ser reserva natural já não se podem atravessar para ir até à praia.

Cabo de Corrubedo, um farol, e umas vistas…hmmmm

Já a caminho de Noia , e por estarmos muito atentas às raras sinalizações da estrada fizemos um desvio para Castro de Baroña, um conjunto de ruínas de casas com dois mil anos, mesmo à beira mar, numa encosta com praia dos dois lados. Aí trepamos bem….

A viagem terminou em Noia, uma cidade com um centro histórico bem preservado, e como já eram 6h30 da tarde, já com muito frio!








Domingo: Santiago - Muros - Finisterra - Malpica - Carnota - Muxia - Santiago
Saímos de Santiago e fomos directas a Noia. Paramos em Pontenafonso, onde há uma ponte medieval e uns moinhos de marés reconstruídos. Seguimos até muros, apreciando os portos das vilas da costa da ria.

Na ponta da península Fizemos uma caminhada. Existe aí uma montanha chamada Louro.

Continuamos a nossa viagem passando pela praia da Carnota, o maior areal da Galiza que tem só 7 km! Mais a frente subimos a um miradouro onde podemos desfrutar das vistas para o vale de O Pindo, que tem também uma montanha que é um bloco rochoso de granito rosa. Muito bonito!

A próxima paragem foi Finisterra, o ponto mais ocidental, primeiro na vila e depois no cabo.

A viagem continuou rumo a Muxia, uma vila piscatória. Passando por Ponte do porto, Camariñas chegamos ao cabo do Vilan. No caminho vistamos uma Igreja da Nossa Sra de la Barca, mesmo em frente ao mar. Aí há umas rochas que fazem lembrar um casco de um barco virado e uma vela, as pedras del milagro.

Até Arou deu para conhecer a Costa da Morte por uma estrada florestal que antes só era para peões, que acompanhou o mar durante 18 km.

Depois passamos por ponteceso, onde há um monte de areia que foi ai depositada pelo vento e terminamos a nossa viagem em Malpica, por volta das 19h30.


2 comentários:

GRaNel disse...

Que maravilha. É só passeio, só passeio.

Tiz disse...

Olá priminha! Tens aqui fotografias mesmo lindas....nunca pensei que aí houvesse assim paisagens tão bonitas=) Deve ser mt fixe estar aí, mas compreende-se que, ao mesmo tempo, as saudades apertem=) Eu cá já sinto a tua falta...=D Beijinho , diverte-te muito e n te eskeças d mim bj